segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

São 25 Anos de Emancipação Política



A nossa Banzaê de todos os cantos e encantos esta completando Bodas de Prata neste 24 de Fevereiro de 2014 cada vez mais forte, mais desenvolvida, mais linda e muito mais vivida.

Hoje são quase 13 mil habitantes lutando por dias melhores a nosso município, munícipes importantes que seguem o legado deixado por seus antepassados que aqui passaram e lutaram, hoje são povos unidos em prol de um único objetivo, deixar nossa querida Banzaê sempre entre as melhores cidades de nosso Brasil, deixar nossa Banzaê sempre feliz.

E essa Banzaê de um só coração, esta completando 25 Anos de Emancipação com Brancos, Negros e Índios juntos numa só união. 

Feliz, feliz, feliCIDADE Banzaê meu orgulho!

 Conheça muito mais sobre nossa história nas publicações abaixo

sábado, 12 de outubro de 2013

OS PRIMEIROS PASSOS

Foto da Antiga Praça Nossa Senhora da Conceição na Sede (1989)

SEGUNDO A HISTÓRIA: Banzaê (Sede) começou a ser povoada por volta de 1910. O pequeno vilarejo Banzaê, originado de viajantes e mercadores que saíam do estado de Sergipe com destinos as cidades do sertão baiano acabavam descansando-se a beira de uma árvore chamada Pau–Ferro, originando-se ali em 1910 uma feira por nome Feira do Pau abastecendo para abastecer com seus produtos os moradores das redondezas.

Os primeiros moradores o Srº Ricardo Ferreira um tropeiro mercador com seus familiares e o Srº Vicente Gouveia um escravo alforriado e um iraniano por nome Zé Banzaê que residia na Fazenda Lagoa de Dentro que fica a 2 Km de distância da Vila e decidiu morar naquela localidade e assim formando o pequeno vilarejo.

Nessa feira reuniram pessoas dos povoados de Tamburil, Mirandela, Buracos (Povoado São João da Fortaleza), Retiro, Ferinha (Povoado Campo do Brito) e fazendas da região para a comercialização de produtos, a famosa Feira do Pau foi relembrada na 1ª Edição do Projeto Sexta na Praça em 24 de Abril de 2009.

Essa árvore, era grande e velha, tinha galhos com pontas de pau que cresciam horizontalmente e onde se colocavam sacolas e mercadorias para o típico comércio.

Com o crescimento e maior movimentação da referida feira, o Sr. Ricardo Ferreira construiu a primeira Casa da Vila. Ele era casado e tinha um grande número de filhos entre eles: Inácia Ferreira e Enéia Ferreira.

Ao que parece, o dono da primeira Bodega que se tornou o primeiro morado do futuro Município, era um iraniano, então conhecido como “Zé Banzaê”, em seguida outras Bodegas foram construídas como, a do Sr. Arnaldo e do Sr. Vicente Gouveia. A primeira Padaria foi construída por Ana Dona Rita Alves de Oliveira.

Por volta de 1918 a 1920, foi construída uma Capela pelos próprios moradores dedicada a Nossa Senhora da Conceição, padroeira oficial do município, e contrataram um escultor de santo da região, chamado Manoel Cinema, para esculpir em madeira uma belíssima imagem da santa.

O primeiro padre a frequentar a Capela foi o Padre Isidoro, homem conservador e rígido, que celebrava as missas para a população em estilo de língua latim. Ele não permitia que as mulheres participassem das missas com roupas curtas, elas tinham que estar trajadas com respeito e tinham que usar véu sobre as cabeças, os homens tinham que estar vestidos de paletó e gravata para poder pegar no andor de Nossa Senhora da Conceição, e ao entrar na Capela tinham que retirar o chapéu da cabeça para reverenciar o altar e a imagem.

Outro morador ilustre da pequena Vila, foi o senhor Pedro Militão Teixeira que nasceu na Fazenda Retiro e veio morar na Vila com sua esposa Alice Dantas, chegando a Vila de Banzaê ele montou uma Bodega e uma Padaria, ele era um homem muito inteligente, sabia ler muito bem e com isso ganhou a confiança do povo na época, por ter sua residência na frente da Igreja ele passou a dirigir a religiosidade da Vila e passou a presidir as Novenas e as rezas na Quaresma.

Foi Pedro Militão que uniu a comunidade e construiu o Cemitério local no ano de 1940 (ainda existente) e o primeiro a ser sepultado foi um jovem conhecido por Dodô, mas seu nome era Virgulino de Abedias.

Pedro Militão foi responsável também pela construção de uma Capela no próprio Cemitério onde festejava o Dia de São Pedro e São Miguel, com a Capela deu inicio os Festejos de São Pedro que é realizado na Sede do município até os dias atuais com nome de Arraiá do Banza desde 1997, em 1989 a festa foi chamada de MICARAPEDRO, onde o forró tradicional animou a galera presente na festa com Trio Valneijós.

Como grande representante do lugar na época, Pedro Militão, recebia em sua residência e hospedavam os políticos, os padre e as autoridades da época.

As referências desta publicação foi encontrada na Secretaria Municipal de Educação e retirada no livro Fragmentos de fé e vida do povo de Tamburil, livro escrito e lançado pelo vereador José Vanderlei Chaves Bitencourt em 19 de Janeiro de 2011, a foto é do Acervo da Câmara Municipal de Vereadores.
 
pesquisado por: Bruno Matos Cezar

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Nossa Cultura e nosso Esporte

Apresentação da Quadrilha Junina Pisada Forte da Sede no Arraiá do Banza (São Pedro da Tradição) 2013

 Apresentação da Quadrilha Arrasta-pé no Campo do Campo do Brito no Arraiá do Banza (São Pedro da Tradição) 2013

Apresentação da Quadrilha Indígena da Marcação no Arraiá do Banza (São Pedro da Tradição) 2013


XVII Edição da Missa dos Vaqueiros do Campo do Brito em 2013

Na Cultura, se destaca as seguintes manifestações culturais: As Quadrilhas Juninas como a Pisada Forte na Sede, a  Arrasta Pé no Campo do Povoado Campo do Brito e a Indígena do Povoado Marcação, o Carnaval na Sede com o Bloco As Primas, a Missa dos Vaqueiros no Povoado Campo do Brito, o Aniversário do Povoado Queimada Grande que é comemorado todos os anos com diversos momentos de cultura e lazer, o Artesanato dos povos Brancos e Indígena , o Ritual do Toré Indígena, Literatura de Cordel, o Reisado, Samba de Roda, as , Teatro, Músicas, Samba de Crioulo, e a Paixão de Cristo na Sede.

Para as atividades desportivas existem no Município sete quadras de esportes municipais, sendo 3 na Sede, uma no Povoado Campo do Brito, uma no Povoado Salgado, uma no Povoado Indígena Mirandela e outra no Povoado Indígena Marcação, conta ainda com o Estádio Municipal na Sede e vários Campos de Futebol nos Povoados e Comunidades.

Durante o ano são realizados vários eventos e campeonatos esportivos na Sede, Povoados e Comunidades, nas mais diversas modalidades e em todas as categorias: adulto, infantil, mirim, masculino e feminino, Jogos Escolares, Futsal e Futebol de Campo. 


pesquisado por: Bruno Matos Cezar

terça-feira, 2 de julho de 2013

Nossas Festas Tradicionais

Arraiá do Banza 2013

As Tradicionais Festas Religiosas e Profanas do município
de Janeiro a Dezembro

06/01 - Senhor do Bonfim no Povoado Queimada Grande
20/01 - São Sebastião no Povoado Tamburil
02/02 - Nossa Senhora das Candeias no Povoado Boqueirão
11/02 - Nossa Senhora de Lourdes na Fazenda Baixão
13/06 - Santo Antônio da Barra
(Festa do dia Namorados (12/06) no Povoado Campo do Brito)
29/06 - São Pedro na Sede
03/08 - Nossa Senhora Rainha dos Anjos no Salgado

Missa dos Vaqueiros do Povoado Campo do Brito
no primeiro Sábado do mês de Setembro

08/09 - Nossa Senhora do Montesserrato no Monte
29/09 - Nossa Senhora das Graças no Palmares
08/12 - Nossa Senhora da Conceição na Sede


E ainda tem as Tradicionais Festas das Comunidades Engenho Velho (Pedra Furada), Camarão, Gitirana, Pau Branco, Terra da Lua, Maria Preta e Queimadinha e no território Indígena.


pesquisado por: Bruno Matos Cezar

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Decreto de Emancipação e pessoas que lutaram

http://4.bp.blogspot.com/_C3qm8Bawhvg/SYtme4N7U6I/AAAAAAAACdk/1EGM0ESjzEY/s320/Cidade+Antiga+%281%29.JPG
 Avenida Emancipação na época da Emancipação (Sede)

Tudo começou em 1984 quando o povo do ainda Distrito de Banzaê que pertencia a Ribeira do Pombal e alguns membros da política pombalense e do estado começaram a fazer movimento em pro da Emancipação, na época entrou na briga com o povoado de Banzaê, o Distrito de Mirandela que também fazia parte do território pombalense, em 23 de Novembro de 1984 várias pessoas de Banzaê estiveram na redação do Jornal Tribuna Regional de Souza para declarar que não aceitavam de hipótese alguma que Banzaê deixasse de ser município para ser a Mirandela, a alegação do povo de Banzaê na época, é que o distrito tinha o melhor centro comercial do entre os povoados do município de Ribeira do Pombal, tinha vários Clubes Sociais, tinha Campo de Futebol e Iluminação pública em 90% do território, tinha água encanada, Posto do Correio, Pavimentação e Praça.

O distrito de Mirandela em nome do seu líder maior Edval Calasans, justificava que por lá tinha também Pavimentação, Iluminação Pública, Posto dos Correios além de Cartório de Registro e Posto de Saúde, mais devido as terras mirandelenses também na época serem disputadas pelos índios Kiriri, a situação ficava complicada para que a Mirandela viesse a ser cidade.

Em 1985 a Comissão de Divisão Territorial da Assembleia Legislativa da Bahia em nome do Deputado Estadual na época Roberto Cunha, aprovou primeiro que a Mirandela viesse a ser município desmembrado de Ribeira do Pombal, sendo que a Sede do novo município deveria ser em Banzaê, mais como o projeto não foi para frente, o Deputado apresentou um novo projeto colocando como novo município da Bahia, o distrito de Banzaê que fazia parte do território pombalense, na época dessa notícia o distrito de Banzaê estava se preparando para comemorar os festejos da Padroeira Nossa Senhora da Conceição, notícia essa que só fez aumentar e muito a alegria do povo nas ruas, no mesmo período Edval Calasans convocou lideres de 10 povoados no distrito de Mirandela, a reunião era para saber se os lideres comunitários e suas comunidades eram a favor ou contra do plebiscito para Banzaê se torna município, ou se eles eram a favor da Mirandela, segundo Edval compareceram mais de 200 pessoas que aclamavam ser contra o plebiscito, o vereador de Ribeira do Pombal na época João de Alfredo, também estava presente como representante de Mirandela.
Entre os anos de 1986 à 1988 aconteceram vários movimentos pro parte da população banzaeense a favor de Banzaê e da população mirandelense a favor da Mirandela, em conversa com a moradora Zélia Oliveira, daqui de Banzaê, ela disse a este blog que um dia saiu com as colegas para visitar os povoados ao redor de Banzaê e chegando na Mirandela, Edval Calasans mandou parar o carro procurando saber o que elas estavam fazendo e deu uma ordem de prisão para as mesmas.

Com passar do tempo, Banzaê se tornava mais ainda favorito a ser novo município baiano, foi ai que entrou em campo um verdadeiro time de pessoas influentes na política pombalense, banzaeense e estadual na luta, podemos destacar o empenho do prefeito de Ribeira do Pombal na época Nilson Brito, de José Américo Passos da Conceição, filho do ex. prefeito de Pombal Pedro Rodrigues, do Juiz Dr. Fernando, do Diretor do Jornal Tribuna Regional, Souza, dos Deputados Estaduais Roberto Cunha e Luciano Simões, dos Deputados Federais José Lourenço e João Bacelar, Zé Grilo e dos moradores ilustres de Banzaê Zé de Alta, Atenor, Mundinho e seu pai Né, Artur, Nezinho, Júlia Ferreira, Reinaldo do R-Som, Décio, João Pela, Tereza Bitencourt, Raimudno e seu pai Edgar, Itamar, Joel, Tonho de Cilene, Dernival, Diogenilson, Armando de Biú, Augusto de Maria, Zé Chiquinho, Joaquim Camilo, Zé do Bar, Dezinho, Dermir, Celso Matos, Gerson do Relógio, Viano e tantos outras pessoas que torceram e até mesmo contribuíram para realização da primeira festa em comemoração ao novo município em 08 de Janeiro de 1989, devemos destacar também a força dos ex. vereadores Zezi e Edson Brito, além de Edval Calasans que mesmo sendo a favor de Mirandela, mesmo tendo mandado prender as garotas do Banzaê e mesmo tendo jogado arreia nos carros de Banzaê quando estavam comemorando a aprovação da emancipação, acabou reconhecendo que Banzaê tinha muito mais chances de se torna município do que Mirandela, com isso entrou na briga e na luta a favor da emancipação, talvez tenha sido isso seu principal destaque para ser escolhido pelo povo como primeiro prefeito do novo município da Bahia.

Depois de tantos anos de luta, o Decreto de Emancipação foi aprovado em 24 de Fevereiro de 1989, pelo então então Governador da Bahia, Waldir Pires.

No dia seguinte, 25 de Fevereiro de 1989, o decreto foi encaminhado para publicação no Diário Oficial do Estado, conforme a Lei 4.845, sendo o primeiro prefeito da cidade, o Sr. Edval Calasans de Macedo.

As referências desta publicação foram encontradas na Secretaria Municipal de Educação e na edição 2011 do Jornal Tribuna Regional de Ribeira do Pombal, a edição foi publicação na década de 80 e republicada em homenagem a passagem dos 22 de Emancipação Política do município.

 pesquisado por: Bruno Matos Cezar

Quadrilha Pisada Forte - Cultura popular da nossa gente

 Foto da apresentação em 2010 quando o Axê da Bahia foi o grande homenageado


QUADRILHA PISADA FORTE - SEDE
 A mistura entre Tradicionalismo e Inovação!


Tudo começou em 2002, quando a partir de uma seletiva ocorrida no Centro Educacional Edval Calasans (CEEC), jovens foram escolhidos para participar de um Concurso Municipal de Quadrilhas

Alguns chateados com a situação, formaram a chamada “Quadrilha da Rua”, participava quem tivesse interesse. 

A disputa não aconteceu e foi quando se deu a fusão entre o Grupo da Escola e com o  " Grupo do Povão”. E ocorria um fato interessante, as pessoas antes de se unirem, indagavam umas as outras, “Você participará de qual quadrilha, da rua ou da escola?”. 

A principio, a professora Rita Simone, batizou o grupo de “Quadrilha Arrasta-Pé na Praça”, na justificativa de que suas apresentações se dariam sempre na praça de eventos. 

O primeiro empecilho encontrado pelo grupo, quase desmotivou aos participantes, afinal, não havia local para os ensaios. Foi ai que o saudoso Flaviano Dantas, popularmente conhecido como “Sr. Viano”, cedeu sua garagem, “O Casarão”, para realização dos ensaios. 

Com o tempo e o número de participantes, o espaço ficou pequeno, os vizinhos do prédio reclamaram do barulho, ameaçaram até chamar a polícia e decorrente disso, tudo voltou a estaca zero. 

Foi ai que entrou em cena a diretora do CEEC, a pedagoga Cássia Matos. Após uma reunião com os membros do grupo, ela permitiu que ocorressem as reuniões dentro de uma das salas de aula da Unidade Escolar, porém, o espaço não suportava a euforia dos integrantes, e foi por essa razão, que surgiu então a ideia de fazer os ensaios na área externa da escola, na área externa, a poeira era a maior vilã e a chuva, apesar de abençoada, reprimia as condições do local. 

Como os problemas encontrados na área externa do CEEC, a Comissão Organizadora teve que buscar um novo ambiente, idealizaram a Praça Mãe Joana, mas logo descartaram, o público iria ficar a par e da apresentação e “perderia a graça”. Por essa razão, sua a hipótese de pedir a diretora da Escola Municipal Edite Brito (primeira escola de Banzaê), professora Marilene Bezerra, para acomodar a quadrilha. 

Após uma reunião com a diretora, ela sem pensar duas vezes disse as inesquecíveis palavras, “A escola é de vocês! Jamais eu vou deixar de ajudar a nossa cultura e o que precisarem contem comigo!”. E não foi diferente, até aulas de frevo a professora Marilene para quadrilha. 

Já em cima da hora para primeira apresentação, tudo começara a se concretizar, espaço conseguido, participantes sendo “afiados”, e faltava o principal, o figurino

Pela falta do figurino, os líderes do grupo sugeriram mais uma ideia, pedir um apoio ao presidente da Câmara, Paulo Sérgio e ao prefeito da época, Zé Leal, a sugestão foi aceita, o um grupo foi até a Câmara e a Prefeitura, e o apoio foi dado pelos dois administradores. 

Na ocasião, o apoio do Comércio Local, também foi importante para o resultado positivo da quadrilha. 

Com apoio conquistado e ajuda dos participantes, o tecido para fazer o figurino foi comprado, porém, ele chegou faltando uma semana para a data da apresentação, por essa razão, todos corriam feito louco em busca de costureiras para concretizar o modelo rabiscado no papel pelos talentosos irmãos Almeida Nascimento, Agerlânio, Cida e Ana Carla

Chegou o grande dia, e no dia 29 de Junho de 2002 (Dia de São Pedro), padroeiro do município, aconteceu a primeira Apresentação da Quadrilha, na antiga praça do Mercado Municipal, depois Praça de Eventos, e hoje Praça Nossa Senhora da Conceição.

Logo na primeira apresentação, já foi mostrada a diferença, e com um tema de abertura pego da Banda Menina Faceira, (“Alô, alô meus amores, esse é o nosso terceiro cd...”, a quadrilha fez uma grande abertura com uma apresentação tradicional, que foi  marcada pelo professor na época, Celhão, e encerrou com uma coreografia ensaiada homenageando Lampião e Maria Bonita

Vale o ressalto de que nesse dia, um novo grupo musical foi lançado em Banzaê, tratava-se do Forrozão FRATE, o nome foi uma homenagem as iniciais das primeiras letras do nome de seus músicos (Fabrício, Filipe, Rodrigo, Adriano, Antônio Júnior, Tiago e Edisson)

Com o grande sucesso da primeira apresentação em 2002, todos os pontos positivos e até mesmo negativos foram colocados em pauta numa reunião, e foi feita a promessa de se fazer no ano posterior, uma apresentação com muito mais sucesso, porém, com problemas internos, o grupo não apresentou em 2003

2004

Em 2004, a Pisada Forte, voltou com força total e fez uma apresentação ímpar mesmo sem tema, seguindo a ideologia da primeira apresentação em 2002, coreografia ensaiada e passos tradicionais sob a narração do professor Girordan, e com muito mais inovação. 

Nesta apresentação, surgiu a primeira dupla mirim da Quadrilha, (Mateus e Daniela Oliveira). Alguns apoiavam a permanência deles, já outros não, mas foram eleitos como casal exemplo, pela razão de jamais ter faltado a um ensaio. 

2005
 
No ano de 2005, a Pisada Forte fez mais uma brilhante apresentação mesmo sem tema mais uma vez, e promoveu a 1ª Edição do “Arrastão da Bagaceira”, ou seja, com um carro de som ao comando do narrador e animador Toninho de Quinca Soldado, caminhões, jegues, cavalos, motos, bicicletas e a pé, diversas pessoas enfeitadas da maneira mais absurda possível, fez um grande arrastão entre a Sede do município e o Povoado Campo do Brito, fazendo um grande alvoroço. Até a prefeita na época, Jailma Dantas, participou do arrastão fantasiada. 

O que era para ter sido apenas um “esquenta” da Quadrilha Pisada Forte, o “Arrastão da Bagaceira”, tornou-se num grande “Bloco Junino”, onde diversos banzaeense e visitantes da região, estavam vestidos a caráter e fizeram até uma quadrilha foi improvisada.

2006

Depois de duas grande apresentações sem tema, veio o ano de 2006, e como era ano de Copa do Mundo, o Mundial da Alemanha e a Seleção Brasileira, foram os grandes homenageados da apresentação, mesmo embaixo de muita chuva, a Quadrilha Pisada Forte, proporcionou a todos, uma grande apresentação que entrou para história, neste ano, aconteceu a 2ª Edição do “Bloco Junino Bagaceira"

2007

  Alguns dos participantes em 2007

Homenageando o Brasil, a Pisada Forte chega ao ano de 2007, nesta apresentação, a grande novidade foi a “Orquestra de Panelas” na abertura da apresentação, a orquestra foi baseada em um momento do DVD “Ballet Mulato” de Daniela Mercury

Foi nessa apresentação, que o despertava o senso de crítica dos expectadores apareceu, devido a apresentação ser fechada com o hit do axé “Levada Brasileira”. Mas como tudo é válido, a quadrilha fez mais uma grande apresentação no ano que aconteceu a última e 3ª Edição do “Bloco Junino Bagaceira"

2008

 Alguns dos participantes em 2008

Chegou 2008, e neste o ano, o grande homenageado da Pisada Forte, foi o grande forrozeiro do Nordeste, Alcymar Monteiro, Alcymar que tem uma legião de fãs aqui no município devido aos anos em que se apresentou na Sede.

Na ocasião, o grupo apostou em novidades colocando 32 casais, uma banda ao vivo, a Banda Pisada Forte, e um telão de projeção que foi operado por Jefferson Matos, acompanhando a apresentação, ou seja, a história que começou dentro de uma sala de aula, havia atingido grandes proporções. 

Naquele ano, Quadrilha e Banda Pisada Forte, era composta por mais de 60 pessoas, entre jovens e adultos, trabalhando em plena comunhão. 

2009 


Alguns dos participantes em 2011

Na 7ª Apresentação em 2009, o grande homenageado da Pisada Forte, foi o Rei do Baião, Luíz ‘Lua’ Gonzaga "Gonzagão". Na ocasião, foi relatado sobre os 20 Anos de sua morte.

A aposta do grupo foi válida, e com uma apresentação que contou um pouco do Rei do Baião, cantando seus grandes sucessos e acompanhado de sua incomparável sanfona, os dançarinos da pisada mais segura do Brasil, fez um grande show com um figurino impecável, além das alegorias e adereços projetados e desenvolvidos pelos próprios componentes. 

2010

  Alguns dos participantes em 2010

Salve o Carnaval Baiano! Com esse tema, a quadrilha Pisou Forte em 2010, ao som das grandes músicas que embalaram a Festa Baiana, desde Moraes Moreira, passando por Luíz Caldas, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Cláudia Leitte e outros grandes artistas da Axé Music.

Neste ano, a Pisada Forte, se apresentou no "São Pedro da Tradição", evento organizado pela Prefeitura Municipal, e enfatizou em quinze minutos, os sete dias de folia da capital baiana, Salvador

2011

 Momentos da última apresentação em 2011

Em sua última apresentação em 2011, e mais uma vez se apresentando no "São Pedro da Tradição", a Pisada Forte, fez mais um espetáculo munido de muita qualidade áudio visual, luzes e alegorias, onde o grande homenageado, foram os Portugueses. Na ocasião contou como eles chegaram ao Brasil.

Assim como aconteceu em 2003, a Pisada Forte, não se apresentou em 2012.

Quadrilha Pisada Forte

A Pisada Forte, nasceu de um acaso, ou uma certeza, não se sabe, mas o que fica evidenciado com essa incrível e marcante história, é que o tradicional e o inovar são artes que sempre se confrontam em suas apresentações, entretanto, a vitória se dar a partir do empate entre ambas. 

Ao enviar esta matéria, o fundador da quadrilha, Lukas Viana, aproveita o momento para agradecer ao povo, o comércio, e os poderes legislativo e executivo de Banzaê, que sempre teve papel fundamental para apresentação da Pisada.

Segundo Lukas em nome de todos aqueles que participaram de todas e de algumas das apresentações da Pisada, é honra poder construir a História Cultural do município.

Felicidades Banzaê, pelos 24 Anos de Emancipação Política, e que nossa união seja firmada por inúmeros anos mais. 

Quadrilha Pisada Forte, um produto genuinamente Banzaeense!

Matéria enviada por Lukas Viana, hoje dançarino da Banda de forró Moleca 100 Vergonha e fundador da Quadrilha Pisada Forte, adaptada por Bruno Matos Cezar. Fotos da Fan Page no Facebook: QUADRILHA PISADA FORTE - BANZAÊ

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Prefeitos (as) e Vices

Atual prefeita Patrícia Almeida e atual vice Vera Leal


Antes de começarmos nosso relato, vamos falar de um fato importante do município, ou seja, a primeira ATA feita na Câmara de Vereadores na Posse do primeiro prefeito, vice-prefeito e dos primeiros vereadores de Banzaê, foi redigida pela ex. preeita Jailma Dantas.


Desde a Emancipação Política em 24 de Fevereiro de 1989, foram quatro os administradores do município, sendo dois homens, Seu Divá e Zé Leal (Prefeito duas vezes) e duas mulheres, a atual Patrícia Almeida e Jailma Dantas, já no cargo de Vice-prefeito (a), Banzaê teve cinco, a atual e primeira vice-prefeita de nossa história, Vera Leal, Têca e Cicinho ( vice por duas vezes) e Rico e Hamilton Viana que foram vice uma única vez.

Família no poder, Seu Divá é pai de Rico e Zé Leal é esposo de Vera Leal e primo de Jailma Dantas, ao mesmo tempo, Jailma e Patrícia são primas de Cicinho, veja a lista abaixo na ordem do mandato.


1° Executivo de 1990 à 1992

Edval Calasans de Macedo (Seu Divá)
Prefeito

Windson Dantas de Souza (Cicinho)
Vice-prefeito

2° Executivo de 1993 à 1996
José Ribeiro de Moraes (Zé Leal)
Prefeito

Hamilton Dantas Viana
Vice-prefeito

3° Executivo de 1997 à 2000

Jailma Dantas Gama Alves
Prefeita

Windson Dantas de Souza (Cicinho)
Vice-prefeito

4° Executivo de 2001 à 2004

 José Ribeiro de Moraes (Zé Leal)
Prefeito

Erivaldo Cardoso Calasans (Rico)
Vice-prefeito

5° Executivo de 2005 à 2008

Jailma Dantas Gama Alves
Prefeita

José Wilson Pereira de Souza (Têca)
Vice-prefeito

 6° Executivo de 2009 à 2012

Jailma Dantas Gama Alves
Prefeita
José Wilson Pereira de Souza (Têca)
Vice-prefeito

Atual - 7° Executivo de 2013 à 2016
Patrícia Nascimento Almeida
Prefeita

Maria Veralucia Gama Moraes (Vera Leal)
Vice-prefeita


pesquisado por: Bruno Matos Cezar

Legislaturas

1º Poder Legislativo e Executivo (Foto: Acervo da Câmara de Vereadores)


1ª Legislatura de 1990 à 1992

José Ribeiro de Moraes (Zé Leal)
Hamilton Dantas Viana
Demétrio Ferreira Neto (Netinho da Cachaça)
José Wilson Pereira de Souza (Têca)
Edson Passos Brito
José Ferreira Peixinho (Zé Peixinho)
Joaquim Sebastião de Souza (Bastú)
José Dantas Nobre (Zé Lourinho)
João Carlos Almeida (João Velho)

Nessa Legislatura, assumiu como 1º Suplente por um certo período do mandato, José Olímpio Dantas (Zezito), pai do ex. vice-prefeito Cicinho, foram presidentes da Casa Zé Leal (1990/1991) e Hamilton Viana (1992).

2ª Legisaltura de 1993 à 1996

José Almeida Miranda (Zezi)
Demétrio Ferreira Neto (Netinho da Cachaça)
José Wilson Pereira de Souza (Têca)
Edson Passos Brito
João Carlos Almeida (João Velho)
Sebastião Pereira Bitencourt (Tião da Loja)
Adailton Souza do Nascimento (Nininho do Salgado)
Antonilda Gama
José Alves dos Santos (Gervásio)

Nessa Legislatura, assumiu como 1º Suplente por um certo período do mandato, Odenilton Bitencourt da Silva (Denilton do Mercado), foram presidentes da Casa Tião da Loja (1993/1994) e Zezi (1995/1996).

3ª Legislatura de 1997 à 2000

José Almeida Miranda (Zezi)
João Souza do Nascimento (Joãozinho do Salgado)
José Wilson Pereira de Souza (Têca)
João Carlos Almeida (João Velho)
Jackson Cardoso
José Alves dos Santos (Gervásio)
Hamilton Dantas Viana
José Ferreira Peixinho (Zé Peixinho)
Josimar Moreira Nobre (Dode)

Nessa Legislatura, assumiu como 1º Suplente por um certo período do mandato, Edson Passos Brito, foram presidentes da Casa Hamilton Viana (1997/1998) e Zé Peixinho (1999/2000).

4ª Legislatura de 2000 à 2004

Paulo Sérgio Gonçalves de Souza
José Almeida Miranda (Zezi)
Nivaldo Alves Pinho (Irará)
José Wilson Pereira de Souza (Têca)
José Ferreira Peixinho (Zé Peixinho)
Sebastião Pereira Bitencourt (Tião da Loja)
José Alves dos Santos (Gervásio)
Hamilton Dantas Viana
Edson Passos Brito

Nessa Legislatura, assumiu como 1º Suplente por um certo período do mandato, Netinho da Cachaça, foram presidentes da Casa Zé Peixinho (2001/2002) e Paulo Sérgio (2003/2004).

5ª Legislatura de 2004 à 2008

José Almeida Miranda (Zezi)
Nivaldo Alves Pinho (Irará)
Wilson Macedo dos Santos (Sinho)
Genivaldo Gama Peixinho
Alex Rocha Bitencourt Bitencourt
Gilmar Alves dos Santos (Galego Corinthiano)
Hamilton Dantas Viana
Edson Passos Brito
Gilson Oliveira Gama (Gilson do Camamum)

Nessa Legislatura, Edson Brito, foi presidente nos dois Biênios (2005/2006 e 2007/2008), ou seja, durante os quatro anos de mandato.

6ª Legislatura de 2009 à 2012

Nivaldo Alves Pinho (Irará)
Adriano de Souza
José Vanderlei Chaves Bitencourt
Gilmar Alves dos Santos (Galego Corinthiano)
João Souza do Nascimento (Joãozinho do Salgado)
Edson Passos Brito
Gilson Oliveira Gama (Gilson do Camamum)
José Ferreira Peixinho (Zé Peixinho)
Edson Passos Brito
Uashington Aparecido F. Miranda (Cido de Zezi)

Assim como na Legislatura anterior, Edson Brito, foi presidente nos dois Biênios dessa (2009/2010 e 2011 e 2012), ou seja, mais quatro anos como presidente.

 Atual - 7ª Legislatura de 2013 à 2016

Armando Dantas Matos Júnior (Dedé)
Adriano de Souza
José Vanderlei Chaves Bitencourt
Kathyuscia Santos de Souza
José Alfredo da Silva Júnior
Nivaldo Alves Pinho (Irará)
Fernandes Nascimento dos Santos
Gilson Oliveira Gama (Gilson do Camamum)
José Ferreira Peixinho (Zé Peixinho)

Dedé foi eleito o primeiro presidente desta Legislatura e João Souza do Nascimento (Joãozinho do Salgado), assumiu o mandato por quatro meses em 2013.


pesquisado por: Bruno Matos Cezar 

Presidentes da Câmara de Vereadores

 
 Atual presidente Dedé (Foto: Banzaê News) 

Edson Passos Brito - Presidente da Câmara por 4 Biênios consecutivo (Foto: Facebook)


Biênio 1990/1991 - José Ribeiro de Moraes (ex. prefeito Zé Leal)

Biênio 1992 - Hamilton Dantas Viana

Biênio 1993/1994 - Sebastião Pereira Bitencourt (Tião da Loja)

Biênio 1995/1996 - José Almeida Miranda (Zezi)

Biênio 1997/1998 - Hamilton Dantas Viana

Biênio 1999/2000 - José Ferreira Peixinho (Zé Peixinho)

Biênio 2001/2002 - Zé Peixinho (reeleito)

Biênio 2003/2004 - Paulo Sérgio Gonçalves de Souza

Biênio 2005/2006 - Edson Passos Brito

Biênio 2007/2008 - Edson Brito (reeleito)

Biênio 2009/2010 - Edson Brito (eleito em uma nova Legislatura)

Biênio 2011/2012 - Edson Brito (reeleito em uma nova Legislatura e pela quarta vez consecutiva)

Biênio 2013/2014 - Armando Dantas Matos Júnior (Dedé)



pesquisado por: Bruno Matos Cezar

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

História do Legislativo

Atuais vereadores, de cima para baixo e da esquerda para direita:  Adriano, Zé Peixinho, Kathyuscia, Gilson, Dedé, Irará, Vanderlei, Fernandes e Alfredo Júnior (Foto: Banzaê News) 


Sede da Câmara de Vereadores

Ao longo desse 24 Anos, o município teve um total de 33 vereadores em 7 Legislaturas, contando com os atuais e com dois suplentes que assumiram por um certo período, o atual vereador Zé Peixinho esta exercendo o quinto mandato, igual a Peixinho só tem o ex. vereador Edson Brito, o atual vereador Irará esta exercendo seu quarto, foram vereadores por quatro mandatos, os ex. vereadores Têca, Zezi e Hamilton Viana, o atual vereador Gilson do Camamum esta exercendo seu terceiro mandato, foram vereadores por três mandatos, os ex. vereadores Gervásio e João Velho, os atuais vereadores Adriano e Vanderlei estão exercendo seu segundo mandato respectivamente, foram vereadores por dois mandatos, os ex. vereadores Galego Corinthiano, Joãozinho, Tião da Loja e Netinho da Cachaça, estão exercendo o primeiro mandato de vereador, os vereadores Dedé, Fernandes e Alfredo Júnior e a vereadora Kathyuscia, foram vereadores por apenas um mandato, os ex. vereadores Cido de Zezi, Zé Lourinho, Dode, Zé Leal, Paulo Sérgio, Genivaldo Peixinho, Antonilda Gama, Sinho, Alex e Jackson do Campo do Brito, Nininho do Salgado e Bastú (sendo os dois últimos já falecidos), foram vereadores por um certo período e em apenas um mandato, os suplentes Zezito e Denilton do Mercado.

Além dos atuais e dos ex. vereadores, foram candidatos a vereador (a) no município desde a primeira Eleição disputada em 15 de Novembro de 1989, Ana Aleixo - Donana (disputou quatro eleições), Dernival (disputou quatro eleições), Raimundo Costa (disputou quatro eleições), Guilherme do Baixão (disputou três eleições), Roger do Sindicato (disputou três eleições), Karivaldo (disputou três eleições), Lauro do Monte (disputou três eleições), Manuel Cacique (disputou três eleições), Renivaldo (disputou duas eleições), Paulo César - Paredão (disputou duas eleições), Antônio do Sindicato (disputou duas eleições), Dona Vânia (disputou duas eleições), Bingo de Mariana (disputou duas eleições), foram candidatos uma única vez, Bruno Matos, Tiago Bitencourt, Agrício, Fábio Tratorista, Edlene, Dedé do Monte, Leila Patrícia, Onalvo, Raimundo do Boqueirão, Didi, Celson Matos, Rui Matos,  Emelson do Salgado, Kayque da Queimada, Auxiliadora, Pardal (Valdir), Zé de Alta, Cassia Matos, Marlinda, Humberto, Zé Domingos do Baixão, Domingos do Monte, Veroldo, Lucas Viana, Rita Silva, Tião, Maria Rosa, Almeida da Queimada, Jorge da Queimada, Tadeu Teixeira, Domingos do Campo do Brito, Laércio, Louro do Segredo, Luiz Carlos, Vaval, Décio Conceição e Renato do Boqueirão, a lista não esta na ordem dos anos das eleições disputadas.

Disputou todas as eleições

O vereador Zé Peixinho e o ex. vereador Edson Brito, são os únicos políticos do município que disputou as 7 Eleições Municipais registradas de 1989 à 2012, das 7 disputadas, Zé Peixinho, venceu cinco de vereador contando com a atual e perdeu duas quando se candidatou ao cargo de vice-prefeito, já Edson Brito, ele venceu cinco para vereador também em uma ocasião ficou como 1º Suplente e em outra ocasião perdeu quando disputou a eleição no cargo de prefeito.

Vitorioso quando o nome esta em jogo

O ex. vereador e vice-prefeito, Têca, é o único político do município que venceu todas as eleições quando seu nome estava na disputa, foram quatro vitórias para vereador e duas para vice-prefeito.


pesquisado por: Bruno Matos Cezar 

sábado, 19 de janeiro de 2013

História das Eleições Majoritárias


 Atual prefeita Patrícia Almeida, ex. prefeita Jailma Dantas, ex. prefeito Zé Leal e ex. prefeito Edval

1989

Na primeira municipal disputada na história de Banzaê, a disputa foi em clima de rivalidade pombalense com uma disputa entre Família Calasans x Família Brito, na ocasião, o então ex. prefeito e vereador pombalense, Edval Calasans de Macedo (Seu Divá), que foi candidato a prefeito da oposição, disputou a eleição contra o ex. vereador pombalense, Antonio Bernardo da Costa Filho (Tonho de Toinha), que ficou como candidato a prefeito da situação porque tinha o apoio do então prefeito de Ribeira do Pombal na época, ex. prefeito Nilson Passos Brito.

No 15 de Novembro de 1989, dia em que o povo brasileiro voltava às urnas para eleger no 2º Turno o primeiro presidente eleito pelo voto popular depois da ditadura e do governo eleito no Colégio Eleitoral, na ocasião Fernando Collor de Melo, foram eleitos para serem o primeiro prefeito e vice-prefeito do município recém criado, Seu Divá e Windson Dantas de Souza (Cicinho) respectivamente. Naquela eleição eles venceram a chapa derrota formada por Tonho de Totinha como candidato a prefeito e Seu Benicio do povoado Salgado, como candidato a vice-prefeito, Seu Benicio, também foi vereador em Ribeira do Pombal quando o Salgado fazia parte do território pombalense, os vencedores daquela eleição foram empossados em 01 de Janeiro de 1990 para um mandato de três anos até 1992.

1992

A segunda eleição municipal da história, aconteceu em 1992, assim como o primeiro racha político da história do município, afinal, quando todos imaginavam que o atual prefeito, Seu Divá, iria apoiar como seu candidato a prefeito o então vice-prefeito, Cicinho, para surpresa de todos, ele resolveu colocar como candidato seu o então vereador e primeiro presidente da Câmara de Vereadores de Banzaê, José Ribeiro de Moraes (Zé Leal), que teve como candidato a vice-prefeito em sua chapa o então presidente da Câmara, vereador Hamilton Dantas Viana, na disputa, a chapa Zé Leal e Hamilton venceu aquela eleição contra a chapa derrotada formada pelo atual vice-prefeito, Cicinho, candidato  prefeito e o então vereador José Ferreira Peixinho (Zé Peixinho), os vencedores foram empossados em 01 de Janeiro de 1993.

1996

Em 1996 aconteceu a terceira eleição municipal da história e assim como em 1992, mais um racha político aconteceu, ou seja, Zé Leal e Seu Divá ficaram em lados opostos na eleição. Para surpresa de muitos naquela eleição, o então prefeito Zé Leal, deixou de apoiar o atual vice-prefeito Hamilton Viana, para apoiar a então Chefe de Gabinete Jailma Dantas Gama Alves, até então desconhecida do povo de Banzaê, para vencer a eleição com certa facilidade, Zé Leal conseguiu colocar como candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Jailma, o ex. vice-prefeito Cicinho, até então, maior liderança da oposição no município, a chapa Jailma e Cicinho venceu a chapa derrotada que foi formada pelo filho de Seu Divá, Erivaldo Cardoso Calasans (Rico), como candidato a prefeito e João César, como candidato a vice-prefeito, os vencedores foram empossados em 01 de Janeiro de 1997.
 
2000

Com uma administração reconhecida por mais de 75% da população na época e com até então, apoio de Zé Leal, a então prefeita, Jailma Dantas, candidatou-se a reeleição na quarta eleição municipal da história em 2000, com o então vice-prefeito Cicinho como candidato a reeleição também, porém, para surpresa de alguns, Zé Leal, deixou Jailma de lado e se candidatou para prefeito, e a surpresa da eleição não parou na candidatura de Zé Leal, numa reviravolta na política do município, Zé Leal fez mais uma vez as pazes com a família Calasans, e com aval do então prefeito de Ribeira do Pombal na época, Dadá, filho de Seu Divá, ele conseguiu vencer aquela eleição tendo como candidato a vice-prefeito em sua chapa, Rico, candidato derrotado em 1996 quando disputou a eleição para prefeito, os vencedores foram empossados em 01 de Janeiro de 2001, na nova administração municipal, além de ser vice-prefeito, Rico, também foi secretário municipal de Saúde.

2004

Diferente de sua primeira administração entre 1993-1997, quando ele recebeu o reconhecimento do povo ao eleger sua sucessora na época, Zé Leal, não conseguiu repetir o feito e com uma administração reprovada por mais de 60% da população na época, ele não se candidatou a reeleição e não conseguiu eleger seu sucessor na quinta eleição municipal da história em 2004. Naquela ocasião, a chapa da situação encabeçada pelo então vice-prefeito, Rico, como candidato a prefeito, e o então vereador, Zé Peixinho, como candidato a vice-prefeito, foi derrotada pela chapa que ficou conhecida como a chapa da esperança formada pela ex. prefeita Jailma Dantas e pelo então vereador José Wilson Pereira de Souza (Têca), os vencedores foram empossados em 01 de Janeiro de 2005.

2008

Assim como em 2000, quando estava com uma administração reconhecida por mais de 75% da população se candidatou a reeleição pela primeira, a então prefeita Jailma Dantas, lançou mais uma vez seu nome como candidata a reeleição na sexta municipal da história em 2008, porém, se em 2000 ela perdeu por ter perdido seu principal aliado na época, o ex. prefeito Zé Leal, em 2008 ela conseguiu manter a maioria dos apoios recebido em 2004 e com Têca como candidato a vice-prefeito mais uma vez, ela venceu a reeleição contra o até então aliado e amigo do peito, o então vereador na época Hamilton Viana, o único político que te apoiou em 2004 e deixou seu grupo, para realizar seu sonho de ser candidato a prefeito, Hamilton fez aliança com a oposição de Jailma na época e conseguiu colocar como candidato a vice-prefeito em sua chapa, o ex. prefeito Zé Leal, até então, maior liderança da oposição no município. Jailma e Têca entraram para história do município como os primeiros políticos reeleitos numa disputa pelo executivo municipal e foram empossados em 01 de Janeiro de 2009.

2012

Assim como toda eleição de sucessão, as Eleições de 2012, começaram a ser discutidas faltando em torno de dois anos no município, porém, mesmo com mais uma administração reconhecida pela maioria da população, a então prefeita Jailma Dantas, só definiu o nome que iria disputar a eleição como seu (a) candidato (a), em junho daquele ano. Antes do anúncio oficial de Jailma, comentava-se no grupo da situação os nomes da até então desconhecida da população, Patrícia Almeida, do ex. vice-prefeito Cicinho e do secretário municipal de Finanças, Dedé, como candidatos favoritos, e o nome do atual vice-prefeito Têca, que corria por fora na pré-disputa, pelo lado da oposição, os nomes comentados era do então presidente da Câmara de Vereadores, Edson Brito, do ex. prefeito Zé Leal e de sua esposa, a ex. primeira dama Vera Leal.

Chegou de 19 Junho de 2012 e enfim, a prefeita Jailma Dantas, anunciou como sua candidata à prefeita, a então professora Patrícia Almeida, porém, assim como aconteceu no decorrer da história do política do município nesses 24 Anos de Emancipação Política, mais uma surpresa aconteceu na sétima eleição municipal da história, afinal, quando todos imaginavam que o candidato a vice-prefeito de Patrícia seria Cicinho, Dedé, ou outro nome do grupo liderado por Jailma, ela e o ex. prefeito Zé Leal fizeram as pazes depois de 12 anos, e Zé Leal indicou sua esposa Vera Leal como candidata a vice-prefeita na chapa encabeçada por Patrícia, sendo que Zé Leal conseguiu levar para o grupo de Jailma, dois dos três vereadores de oposição na época, Zé Peixinho e Gilson do Camamum, com a chapa formada e com um grupo em teve forte, a maioria apostava que a vitória da chapa Patrícia e Vera poderia ser com até três mil votos de frente, mais como toda eleição só decidida de fato no fechamento das urnas, a chapa derrota formada pelo então presidente da Câmara de Vereadores, Edson Brito, como candidato a prefeito e a professora Cássia Matos, como candidata a vice-prefeita, recebeu 3.043 votos (42,53 % dos votos válidos), e a tão esperada frente histórica numa eleição em Banzaê baixou para 1.069 pelo fato da chapa vencedora ter recebido 4.112 votos (57,47% dos votos válidos).

A segunda prefeita feminina da história, Patrícia Nascimento Almeida, e a primeira vice-prefeita, Veralucia Gama Moraes, da história do município, foram empossadas no último dia 01 de Janeiro de 2013.

pesquisado por: Bruno Matos Cezar