sábado, 23 de fevereiro de 2013

Quadrilha Pisada Forte - Cultura popular da nossa gente

 Foto da apresentação em 2010 quando o Axê da Bahia foi o grande homenageado


QUADRILHA PISADA FORTE - SEDE
 A mistura entre Tradicionalismo e Inovação!


Tudo começou em 2002, quando a partir de uma seletiva ocorrida no Centro Educacional Edval Calasans (CEEC), jovens foram escolhidos para participar de um Concurso Municipal de Quadrilhas

Alguns chateados com a situação, formaram a chamada “Quadrilha da Rua”, participava quem tivesse interesse. 

A disputa não aconteceu e foi quando se deu a fusão entre o Grupo da Escola e com o  " Grupo do Povão”. E ocorria um fato interessante, as pessoas antes de se unirem, indagavam umas as outras, “Você participará de qual quadrilha, da rua ou da escola?”. 

A principio, a professora Rita Simone, batizou o grupo de “Quadrilha Arrasta-Pé na Praça”, na justificativa de que suas apresentações se dariam sempre na praça de eventos. 

O primeiro empecilho encontrado pelo grupo, quase desmotivou aos participantes, afinal, não havia local para os ensaios. Foi ai que o saudoso Flaviano Dantas, popularmente conhecido como “Sr. Viano”, cedeu sua garagem, “O Casarão”, para realização dos ensaios. 

Com o tempo e o número de participantes, o espaço ficou pequeno, os vizinhos do prédio reclamaram do barulho, ameaçaram até chamar a polícia e decorrente disso, tudo voltou a estaca zero. 

Foi ai que entrou em cena a diretora do CEEC, a pedagoga Cássia Matos. Após uma reunião com os membros do grupo, ela permitiu que ocorressem as reuniões dentro de uma das salas de aula da Unidade Escolar, porém, o espaço não suportava a euforia dos integrantes, e foi por essa razão, que surgiu então a ideia de fazer os ensaios na área externa da escola, na área externa, a poeira era a maior vilã e a chuva, apesar de abençoada, reprimia as condições do local. 

Como os problemas encontrados na área externa do CEEC, a Comissão Organizadora teve que buscar um novo ambiente, idealizaram a Praça Mãe Joana, mas logo descartaram, o público iria ficar a par e da apresentação e “perderia a graça”. Por essa razão, sua a hipótese de pedir a diretora da Escola Municipal Edite Brito (primeira escola de Banzaê), professora Marilene Bezerra, para acomodar a quadrilha. 

Após uma reunião com a diretora, ela sem pensar duas vezes disse as inesquecíveis palavras, “A escola é de vocês! Jamais eu vou deixar de ajudar a nossa cultura e o que precisarem contem comigo!”. E não foi diferente, até aulas de frevo a professora Marilene para quadrilha. 

Já em cima da hora para primeira apresentação, tudo começara a se concretizar, espaço conseguido, participantes sendo “afiados”, e faltava o principal, o figurino

Pela falta do figurino, os líderes do grupo sugeriram mais uma ideia, pedir um apoio ao presidente da Câmara, Paulo Sérgio e ao prefeito da época, Zé Leal, a sugestão foi aceita, o um grupo foi até a Câmara e a Prefeitura, e o apoio foi dado pelos dois administradores. 

Na ocasião, o apoio do Comércio Local, também foi importante para o resultado positivo da quadrilha. 

Com apoio conquistado e ajuda dos participantes, o tecido para fazer o figurino foi comprado, porém, ele chegou faltando uma semana para a data da apresentação, por essa razão, todos corriam feito louco em busca de costureiras para concretizar o modelo rabiscado no papel pelos talentosos irmãos Almeida Nascimento, Agerlânio, Cida e Ana Carla

Chegou o grande dia, e no dia 29 de Junho de 2002 (Dia de São Pedro), padroeiro do município, aconteceu a primeira Apresentação da Quadrilha, na antiga praça do Mercado Municipal, depois Praça de Eventos, e hoje Praça Nossa Senhora da Conceição.

Logo na primeira apresentação, já foi mostrada a diferença, e com um tema de abertura pego da Banda Menina Faceira, (“Alô, alô meus amores, esse é o nosso terceiro cd...”, a quadrilha fez uma grande abertura com uma apresentação tradicional, que foi  marcada pelo professor na época, Celhão, e encerrou com uma coreografia ensaiada homenageando Lampião e Maria Bonita

Vale o ressalto de que nesse dia, um novo grupo musical foi lançado em Banzaê, tratava-se do Forrozão FRATE, o nome foi uma homenagem as iniciais das primeiras letras do nome de seus músicos (Fabrício, Filipe, Rodrigo, Adriano, Antônio Júnior, Tiago e Edisson)

Com o grande sucesso da primeira apresentação em 2002, todos os pontos positivos e até mesmo negativos foram colocados em pauta numa reunião, e foi feita a promessa de se fazer no ano posterior, uma apresentação com muito mais sucesso, porém, com problemas internos, o grupo não apresentou em 2003

2004

Em 2004, a Pisada Forte, voltou com força total e fez uma apresentação ímpar mesmo sem tema, seguindo a ideologia da primeira apresentação em 2002, coreografia ensaiada e passos tradicionais sob a narração do professor Girordan, e com muito mais inovação. 

Nesta apresentação, surgiu a primeira dupla mirim da Quadrilha, (Mateus e Daniela Oliveira). Alguns apoiavam a permanência deles, já outros não, mas foram eleitos como casal exemplo, pela razão de jamais ter faltado a um ensaio. 

2005
 
No ano de 2005, a Pisada Forte fez mais uma brilhante apresentação mesmo sem tema mais uma vez, e promoveu a 1ª Edição do “Arrastão da Bagaceira”, ou seja, com um carro de som ao comando do narrador e animador Toninho de Quinca Soldado, caminhões, jegues, cavalos, motos, bicicletas e a pé, diversas pessoas enfeitadas da maneira mais absurda possível, fez um grande arrastão entre a Sede do município e o Povoado Campo do Brito, fazendo um grande alvoroço. Até a prefeita na época, Jailma Dantas, participou do arrastão fantasiada. 

O que era para ter sido apenas um “esquenta” da Quadrilha Pisada Forte, o “Arrastão da Bagaceira”, tornou-se num grande “Bloco Junino”, onde diversos banzaeense e visitantes da região, estavam vestidos a caráter e fizeram até uma quadrilha foi improvisada.

2006

Depois de duas grande apresentações sem tema, veio o ano de 2006, e como era ano de Copa do Mundo, o Mundial da Alemanha e a Seleção Brasileira, foram os grandes homenageados da apresentação, mesmo embaixo de muita chuva, a Quadrilha Pisada Forte, proporcionou a todos, uma grande apresentação que entrou para história, neste ano, aconteceu a 2ª Edição do “Bloco Junino Bagaceira"

2007

  Alguns dos participantes em 2007

Homenageando o Brasil, a Pisada Forte chega ao ano de 2007, nesta apresentação, a grande novidade foi a “Orquestra de Panelas” na abertura da apresentação, a orquestra foi baseada em um momento do DVD “Ballet Mulato” de Daniela Mercury

Foi nessa apresentação, que o despertava o senso de crítica dos expectadores apareceu, devido a apresentação ser fechada com o hit do axé “Levada Brasileira”. Mas como tudo é válido, a quadrilha fez mais uma grande apresentação no ano que aconteceu a última e 3ª Edição do “Bloco Junino Bagaceira"

2008

 Alguns dos participantes em 2008

Chegou 2008, e neste o ano, o grande homenageado da Pisada Forte, foi o grande forrozeiro do Nordeste, Alcymar Monteiro, Alcymar que tem uma legião de fãs aqui no município devido aos anos em que se apresentou na Sede.

Na ocasião, o grupo apostou em novidades colocando 32 casais, uma banda ao vivo, a Banda Pisada Forte, e um telão de projeção que foi operado por Jefferson Matos, acompanhando a apresentação, ou seja, a história que começou dentro de uma sala de aula, havia atingido grandes proporções. 

Naquele ano, Quadrilha e Banda Pisada Forte, era composta por mais de 60 pessoas, entre jovens e adultos, trabalhando em plena comunhão. 

2009 


Alguns dos participantes em 2011

Na 7ª Apresentação em 2009, o grande homenageado da Pisada Forte, foi o Rei do Baião, Luíz ‘Lua’ Gonzaga "Gonzagão". Na ocasião, foi relatado sobre os 20 Anos de sua morte.

A aposta do grupo foi válida, e com uma apresentação que contou um pouco do Rei do Baião, cantando seus grandes sucessos e acompanhado de sua incomparável sanfona, os dançarinos da pisada mais segura do Brasil, fez um grande show com um figurino impecável, além das alegorias e adereços projetados e desenvolvidos pelos próprios componentes. 

2010

  Alguns dos participantes em 2010

Salve o Carnaval Baiano! Com esse tema, a quadrilha Pisou Forte em 2010, ao som das grandes músicas que embalaram a Festa Baiana, desde Moraes Moreira, passando por Luíz Caldas, Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Cláudia Leitte e outros grandes artistas da Axé Music.

Neste ano, a Pisada Forte, se apresentou no "São Pedro da Tradição", evento organizado pela Prefeitura Municipal, e enfatizou em quinze minutos, os sete dias de folia da capital baiana, Salvador

2011

 Momentos da última apresentação em 2011

Em sua última apresentação em 2011, e mais uma vez se apresentando no "São Pedro da Tradição", a Pisada Forte, fez mais um espetáculo munido de muita qualidade áudio visual, luzes e alegorias, onde o grande homenageado, foram os Portugueses. Na ocasião contou como eles chegaram ao Brasil.

Assim como aconteceu em 2003, a Pisada Forte, não se apresentou em 2012.

Quadrilha Pisada Forte

A Pisada Forte, nasceu de um acaso, ou uma certeza, não se sabe, mas o que fica evidenciado com essa incrível e marcante história, é que o tradicional e o inovar são artes que sempre se confrontam em suas apresentações, entretanto, a vitória se dar a partir do empate entre ambas. 

Ao enviar esta matéria, o fundador da quadrilha, Lukas Viana, aproveita o momento para agradecer ao povo, o comércio, e os poderes legislativo e executivo de Banzaê, que sempre teve papel fundamental para apresentação da Pisada.

Segundo Lukas em nome de todos aqueles que participaram de todas e de algumas das apresentações da Pisada, é honra poder construir a História Cultural do município.

Felicidades Banzaê, pelos 24 Anos de Emancipação Política, e que nossa união seja firmada por inúmeros anos mais. 

Quadrilha Pisada Forte, um produto genuinamente Banzaeense!

Matéria enviada por Lukas Viana, hoje dançarino da Banda de forró Moleca 100 Vergonha e fundador da Quadrilha Pisada Forte, adaptada por Bruno Matos Cezar. Fotos da Fan Page no Facebook: QUADRILHA PISADA FORTE - BANZAÊ

Nenhum comentário:

Postar um comentário