quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Nossas Escolas

 Foto da frente do CEEC na Sede

No ano de 1948 foi construída a primeira escola de Banzaê, a Escola Edite Brito que esta localizada na Travessa Aristides Bitencourt e foi um projeto do Coronel Brito, Edite Brito era uma de suas filhas a qual ele fez a homenagem, a partir do dia 24 de Abril de 1972 iniciou o funcionamento do curso de alfabetização a 4ª série conforme a lei e Portaria PSEEB 1789/24.04.72 e Reg 99/19/03/1986 localizada na Travessa Aristides Bitencourt, a escola hoje é desativada e estuda-se nela, construir a Sede da Prefeitura Municipal do município.

Em 1996, o Centro Educacional Edval Calasans, situado na Rua Vicente Gouveia, ofertou o Ensino Fundamental completo, conforme a Lei 065/26.11. 1996 e Portaria Res. CEE 196/95 de 13.01.96.

O Ensino médio, também foi autorizado a partir de 1996 conforme a lei acima citada, ofertando o Curso de Magistério até 2004. A partir deste ano o Ensino Médio passou a ser ofertado pelo Estado com o curso de Formação Geral no Colégio Estadual Flaviano Dantas do Nascimento.

O Município possui 10 Núcleos Escolares com 28 Escolas, 08 Escolas oferecem o Ensino Fundamental completo: o Centro Educacional Edval Calasans na Sede, e outras 07 nos Povoados: Escola Municipal João Bitencourt Paiva no Tamburil, Escola Municipal Palmares no Palmares, Escola Municipal Alfredo Macedo no Salgado, Escola Municipal Abrão Souza Gama na Queimada Grande, Escola Municipal José Dionísio de Oliveira no Monte, Escola Municipal Marechal Rondon no Araças e Escola Municipal José Camilo Leles no Campo do Brito.

As Escolas que ofertam a Alfabetização até a 4ª Série Primária são: José Benevides e Mariana Dantas de Matos, na Sede, Francisco Teixeira no Baixão II, João Tapera no Baixão I, Jonas Geraldo na Gitirana, José Gonçalves na Massaranduba, José Gonçalves de Souza no Boqueirão, Maria Preta na Maria Preta, Manoel Vivaldo dos Santos no Boqueirão,  Piauí no Piauí, São José no Camarão, Terra da Lua na Terra da Lua e Tia Anastácia.


Pesquisado por: Bruno Matos Cezar

Nenhum comentário:

Postar um comentário